Padre Pio - Por Luciano Bandeira

         Padre Pio é um daqueles homens extraordinários que Deus envia à terra de vez em quando, para a conversão dos homens (Papa Bento XV).

A vocação

Este seguidor de São Francisco de Assis nasceu no dia 25 de Maio de 1887 em Pietrelcina, na arquidiocese de Benevento, filho de Grazio Forgione e de Maria Giuseppa de Nunzio. Foi batizado no dia seguinte, recebendo o nome de Francisco. Recebeu o sacramento do Crisma e a Primeira Comunhão, quando tinha 12 anos. Aos 16 anos, no dia 6 de Janeiro de 1903, entrou no noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, em Morcone, tendo aí vestido o hábito franciscano no dia 22 do mesmo mês, recebendo o nome de Frei Pio em honra a São Pio V. Terminado o ano de noviciado, fez a profissão dos votos simples e, no dia 27 de Janeiro de 1907, a dos votos solenes. Depois da Ordenação, recebida no dia 10 de Agosto de 1910 em Benevento, precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde. Em Setembro desse ano de 1916, foi mandado para o convento de Santa Maria das Graças, situado em São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até à morte. O dia 25 de maio de 1917 merece especial registro em sua longa e santa vida. Ele completava 30 anos. Enquanto rezava no coro da igreja, foi agraciado com os estigmas da crucifixão de Jesus, os quais permaneceram nele por mais de 50 anos.

Dons

No convento, começou exercendo a função de diretor espiritual e mestre dos noviços. Além desse encargo, confessava os habitantes do povoado que freqüentavam a igreja. Foram estes que, pouco a pouco, notaram os dons do novo padre. Ele tinha o dom de ler as consciências durante as confissões e de anunciar eventos futuros. Após sua morte, através do testemunho de seu confessor, o mundo pode conhecer mais e melhor sua vida oculta. Tinha visão total do mundo espiritual: Jesus, Maria, seu anjo da guarda eram companhias constantes. Um dia perguntou ao seu confessor: “mas o senhor não vê Nossa Senhora?” Este lhe respondeu que não, e Padre Pio em sua pureza respondeu: “o Senhor vê sim mas não quer dizer pois é humilde!”. Da mesma forma, via os anjos da guarda das pessoas e os demônios que lhes apareciam de maneira bestiais e terríveis. Seu sim dado a Deus, sua vida santa e seu oferecimento como vítima para salvação das almas, despertou, desde cedo, o ódio do demônio, que o atormentou durante toda vida.

Leitura das almas

Certa vez chegou uma jovem de Florença, muito atribulada, pois um familiar próximo tivera a desgraça de cometer suicídio, jogando-se no Rio Arno. Já havia ouvido falar do padre Pio, e depois da Missa dirigiu-se à sacristia para falar com ele . Apenas este viu a moça, inteiramente desconhecida dele, disse-lhe com doçura: “da ponte ao rio demora alguns segundos minha filha...”. Um empresário, preocupado com a saúde dos pais já idosos foi procurá-lo. Ao chegar perto de Padre Pio, e antes de começar a falar ouviu do frade: “a vontade de Deus deve sempre prevalecer. Sua mãe vai morrer em poucos dias. Seu pai vai viver mais alguns anos. Sua esposa vai conseguir ficar grávida e vai ter um menino. Coloque o nome dele de Pio e traga ele aqui para eu batizar. Sua firma vai falir e você vai ter começar tudo do zero”. O empresário disse que tudo aconteceu exatamente conforme padre Pio havia profetizado. Fatos maravilhosos como esse se repetiam frequentemente. Padre Pio se encontrou com Karol Wojtyla (Joõa Paulo II) quando ele ainda era padre e disse que ele seria Papa.

Bilocação (estar em dois lugares ao mesmo tempo)

Mesmo sem nunca ter saído do convento foi visto em vários lugares da Europa. Há relatos de aparições nos Estados Unidos. Na Italia, um desses fatos extraordinários aconteceu com um médico que, durante a madrugada foi acordado para tentar salvar a vida de uma paciente que estava entre a vida e a morte. Entrou no carro, e no caminho lhe aparece, sentado, no banco do carona, um frei capuchinho. Ele olha e não acredita no que está vendo... Esse frei lhe fala: “você vai chegar ao hospital e vai tentar fazer os procedimentos “assim e depois assim... mas não vai funcionar. Para funcionar você tem que fazer assim...” E lhe explicou detalhadamento como deveria proceder. Dada as instruções, desapareceu! O médico, ainda um pouco atordoado, chega ao hospital, e de fato, tenta de todas as maneiras salvar a vida do paciente; mas, como o frei havia dito, nada funciona. Por fim, segue as orientações daquele frei que lhe aparecera no carro, e consegue ter sucesso, salvando assim, a vida do paciente. Tudo aconteceu exatamente como previsto pelo frei. O Médico que era ateu, depois de algum tempo, viu uma foto de padre Pio e reconheceu como sendo aquele que o ajudara a salvar o paciente. Decidiu então ir conhecê-lo... Chegando à Igreja, padre Pio o avistou de longe e lhe de modo brincalhão disse: “mas que belo médico você é hein?! Precisou da minha ajuda pra dar certo lá!...”. Obviamente que se converteu.

Levitações

Padre Pio foi visto muitas vezes levitando em êxtase durante suas orações ou mesmo fora delas. Padre Ascânio conta que, certo dia, estava esperando padre Pio que deveria confessar os penitentes. “A sacristia estava abarrotada e todo o mundo olhava para a porta pela qual ele teria que entrar. A porta estava fechada, mas de repente eu vi Padre Pio caminhar acima das cabeças das pessoas, indo até o confessionário: posteriormente ele desapareceu”. Depois de alguns minutos ele começou a confessar os penitentes. Eu não disse nada, e pensei que estava sonhando, mas quando o encontrei lhe perguntei:  "Como conseguiu caminhar acima das cabeças das pessoas? " e padre Pio de maneira engraçada responde: "Posso assegurar-lhe minha criança, igual a caminhar no chão..." Outro fato assombroso foi quando padre Pio apareceu voando no céu e impediu que aviões bombardeassem sua cidade. Em Bari, cidade da Itália, durante a II Guerra Mundial se encontrava a sede do Comando da Força Aérea Americana. Um imponente general americano quis levar um esquadrão de bombardeiros para destruir um depósito de material de guerra alemão, que se localizava próximo a San Giovanni Rotondo, local em que Padre Pio residia. Segundo relato do próprio general, quando os aviões estavam próximos ao alvo, seus homens e ele viram no céu um monge com as mãos erguidas. As bombas foram cair nos bosques e os aviões haviam mudado o percurso. Ao retornarem ao solo, todos se perguntavam quem era aquele monge a que os aviões tinham obedecido. Alguém falou ao General que em San Giovanni Rotondo vivia um monge que fazia milagres, e ele decidiu que assim que o país estivesse livre, ele iria verificar quem era o monge que eles tinham visto no céu. Depois da guerra o General foi ao convento dos capuchinhos com alguns pilotos. Entrando na sacristia ele se achou de frente com vários monges entre os quais ele reconheceu imediatamente o monge que tinha parado os seus aviões: era Padre Pio. Padre Pio caminhou ao seu encontro e ao chegar perto dele disse: "Então era você que queria matar todos nós!"  Iluminado pelo olhar e pelas palavras do Padre, o General se ajoelhou em frente a ele. Como de costume o Padre Pio tinha falado em dialeto, mas o General se convenceu que o monge tinha falado em inglês. Este era mais um dos dons do Padre Pio. Todos se entreolharam e o General e seus amigos, que eram protestantes, converteram-se ao catolicismo. Ao sair o General comentou: “não sabia que padre Pio falava tão bem o inglês!”.

Milagres

Padre Pio foi um dos maiores taumaturgos da História da Igreja. Os milagres eram diários e frequentes e continuam até hoje em todo globo terrestre. Ele curou uma menina cega de nascença que havia nascido sem pupila e que ainda está viva, chamada Anna Gemma Di Giorgi. Ele a curou e ela enxerga mesmo sem pupila o que é impossível pela medicina. Ele curou um homem que tinha uma grave doença nos ossos e que era considerado inválido pelo governo Italiano. Após sua cura o governo italiano continuou considerando-o inválido e manteve sua aposentadoria por invalidez. O homem se apresentou curado aos médicos que não quiseram comprovar o milagre... Uma mãe levava a filha pequena muito doente para Padre Pio. A criança veio a falecer durante a viagem de trem. A mãe, sem opção,  colocou-a dentro da mala. Ao chegar na Igreja, a mãe, aos prantos, abriu a mala e tirou a filha morta. Quem conta essa história é um médico que presenciou o fato e constatou que era, absolutamente impossível, que a criança estivesse viva. Padre Pio pegou a menina no colo e disse para mãe: “Mas veja! A menina dorme!”. E entregou a menina viva e curada para a mãe.

Meu testemunho com Padre Pio

         Sou analista de Sistemas e na empresa que trabalhava só havia analistas de sistemas exceto a secretária. Certa tarde, meu chefe me informou que o Banco Central estava necessitando de um relatório contábil, mas que o mesmo não estava com os valores corretos e que precisava ser arrumado. A informação precisava ser apresentada para o pessoal do Banco Central na manhã seguinte logo cedo. O responsável pelo sistema estava no exterior de férias, e o outro, que podia ajudar, não estava mais na empresa. Tentei durante a tarde resolver o problema mas não tive sucesso.  Fui pra casa bastante aflito e preocupado. Antes de dormir pedi para meu anjo da guarda pedir ajuda para padre Pio no Céu. Rezei: “meu anjo da guarda, vá até o céu e peça ajuda a Padre Pio”. Dito isso, dormi. No meio da noite acordo com uma voz que repetia sem parar: “fale com o Apolo, fale com o Apolo!”. Apolo era um amigo do trabalho. Lembro que me levantei e fui até a cozinha beber água e pensava “mas o Apolo não sabe isso...” mas a voz continuava dizendo: “fale com o Apolo”. Eu, homem de pouca fé e orgulhoso, cheguei bem cedo ao trabalho e tentei resolver sozinho mais uma vez sem sucesso. Por volta das 09 horas o Apolo chegou e eu decidi falar com ele. Eu o chamei em minha mesa, e quando comecei a falar, ele logo me interrompeu dando a solução, pois já tinha passado pelo mesmo problema. Ele me explicou o que eu precisava fazer e o problema se resolveu em menos de dois minutos. Depois, acabei constatando que, de todos os analistas da empresa, só ele sabia como resolver. Essa não foi a única graça que obtive de Padre Pio.

Morte e Corpo Incorrupto

         Morreu em 23 de setembro de 1968 dia que é celebrada sua festa liturgica. Foi beatificado em 1999 e canonizado em 2002 pelo papa João Paulo II. Seu corpo além de incorrupto permanece praticamente intacto segundo os peritos que participaram da exumação feita em abril de 2008. Padre Pio foi o único sacerdote da Igreja com os estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo. Grande filho da Igreja, grande devoto da Virgem Maria e do Rosário. Seus devotos se espalham por todo o planeta. Sua vida comprova que Cristo está vivo na Igreja.

Conclusão

         Poderia ter explorado outros aspectos da vida de São Pio mas foquei nos milagres, de modo a aumentar nossa fé. O Papa Bento XVI disse que Cristo volta ao mundo nos seus santos. Padre Pio se configurou de tal modo a Cristo que pode, como São Paulo, dizer: “Vivo mas não sou eu quem vive é cristo que vive em mim”. Para os que tem fé, o que foi escrito não precisa ser explicado, e para os que não tem, nenhuma explicação é possível. O próprio Padre Pio dizia: “sou um mistério para mim mesmo!”.

São Pio, Interceda por nós!