Especial - Material para formação e partilha - Por Marcos Rocha

           Neste especial, estamos publicando um pequeno material, porém indispensável conteúdo para formação do cristão. Vamos abordar os sete sacramentos, com uma pequena introdução e textos separados para cada um deles.

Sacramento do Batismo: Mt 28,18-20; Jo 3,1-20
 

 

O batismo é o renascimento para o Cristianismo. Como vimos anteriormente a humanidade recebeu de Adão e Eva o pecado de herança que tornou a todos mortais. Este pecado chamado de original e é apagado através do sacramento do batismo. De uma forma mais correta, como nascemos sem a graça, com o batismo, recebemos a graça, a presença de Deus. A partir deste sacramento nos tornamos herdeiros do Céu. Não é o batismo de conversão de João Batista (Mt 3,11), mas o batismo do Espírito Santo, instituído por Jesus (At 1,5).

 

O batismo sacramental nos dá a semente da graça, nos tornando filhos de Deus, irmãos de Jesus, membros da Igreja e morada do Espírito Santo.

 

 Muitos cristãos afastados dizem que os batizados devem ser mergulhados na água, outros defendem que basta molhar a cabeça. O que importa no batismo não é a água, mas a ação do Espírito Santo.

 

5 Porque, na verdade, João batizou em água, mas vós sereis batizados no Espírito Santo, dentro de poucos dias. (At 1,5)

 

Outra objeção absurda é a prática de não batizar as crianças. Lembremo-nos do seguinte: ser batizado é nascer como cristão e não se pede para nascer. Não nascemos porque desejamos, mas porque Deus assim quis. A Bíblia narra famílias inteiras sendo batizadas, o que com certeza,não excluía crianças (At 10,1s.24.44.47s;At 16,14s;At 16;31-33;At 18,8; 1 Cor 1,16).

 

Como se pode excluir as crianças da filiação divina se Jesus recomenda o   contrário?

 

14 Jesus, porém, disse: Deixai as crianças e não as impeçais de virem a mim, porque de tais é o reino dos céus.  5 E, depois de lhes impor as mãos, partiu dali.(Mt 19,14-15)

 

Os padrinhos e pais devem ser responsáveis por essa nova vida cristã. O batismo é importantíssimo. Tanto que temos o batismo de sangue, quando homens não batizados morrem em nome de Cristo e o batismo de desejo, quando crianças  morrem momentos antes da execução do mesmo (e situações semelhantes). A Igreja Católica, por exemplo, aceita batismos de outras igrejas, como a Luterana, Ortodoxa e Presbiteriana; até mesmo de seitas pentecostais, se seguirem a fórmula bíblica de Mt 28,19, após uma análise criteriosa. É o sacramento do renascimento cristão.

 

João Paulo II, nosso saudoso papa, em 2002, proferiu:

" É justo que pais e padrinhos sejam preparados de modo adequado para o Batismo das crianças, mas também é importante que o primeiro sacramento da iniciação cristã seja visto sobretudo como um dom gratuito de Deus-Pai, pois 'quem não renascer da água e do espírito não poderá entrar no reino de Deus' (Jo 3,7)".